Redes sociais: cinco previsões para 2013

Espere por evoluções e não revoluções.

O que está por vir em 2013? Aqui estão algumas previsões:

 

1. Se sua companhia não está falando sobre tecnologias sociais, ela vai falar.

‘A locomotiva social’ está correndo, e sua empresa precisa pular a bordo ou será deixada para trás. 2013 pode não ser o ano que sua companhia pule no vagão – ou mesmo mergulhe os pés – no Social Business. Entretanto, até o final do ano, qualquer organização que queira ser competitiva em seu campo estará falando ou planejando sobre como as tecnologias sociais podem e devem ser usadas.

2. As tecnologias sociais entrarão na sua empresa “pela porta dos fundos”.

Sua organização pode ou não decidir proativamente por usar as tecnologias sociais este ano, mas o Social terá presença dentro de casa. Seja como um teste do diretor de comunicação da página do Facebook, clientes reclamando ou elogiando sua companhia no Twitter, ou, mais tradicional, as aplicações corporativas podem sofrer atualizações com capacidades sociais. Ai estará o Social Business. E é por isso que sua empresa deve ter algumas políticas em torno dessas tecnologias, não importa onde esteja o espectro social.

3. As aplicações corporativas vão integrar mais funcionalidades sociais.

Como foi citado no tópico anterior, uma das maneiras que as organizações começarão a ver as tecnologias sociais será através das atualizações de aplicações existentes ou integração de novos produtos. Do CRM aos apps de produtividade, até aos sistemas de business intelligence, as capacidades sociais, como colaboração e busca especializada, traçarão seus caminhos para dentro de mais e mais produtos que sua empresa já usa.

4. Você será julgado pela sua presença social.

Uma das primeiras coisas que os gestores responsáveis por contratações vão fazer é verificar a sua presença na mídia social pública. Entretanto, mesmo que você não tenha intenção de deixar seu atual posto, alguém que você contratará, ou fará uma reunião com você, ou até mesmo que trabalhe contigo, vai conferir seu perfil no Twitter, Facebook e, especialmente, o LinkedIn. Você se mostra entendido das redes sociais? Sua presença nas redes sociais é livre e transparente para qualquer coisa que você não queira que seu chefe ou sua mãe veja? Você ao menos tem presença nessas redes?

Ouvimos alguns profissionais dizerem que ter presença não importa e que as redes sociais são um fardo. Mas importa e não é um fardo, e algumas pessoas procuraram saber de você pelas redes sociais – de maneira mais forte este ano.

5. O Facebook terá menos importância; Twitter e Pinterest terão mais importância.

Acreditamos que as empresas vão frear um pouco a presença delas no Facebook e saltar para alternativas como Twitter e Pinterest.

 

Este ano será o ponto de partida das tecnologias sociais ganharem espaço e presença garantida dentro do mundo dos negócios. Elas continuarão a ganhar caminho dentro dos produtos corporativos e as empresas continuarão a experimentar novas práticas de colaboração social.

 

Fonte: Itweb

 

 

As marcas de maior sucesso no Facebook em 2012

O levantamento mostra quem conseguiu maior engajamento e também os perfis que conquistaram mais fãs no ano passado. Além disso, o infográfico mostra também a quantidade total de pessoas conectadas à internet no Brasil e destaca o percentual desse total que está no Facebook.

 

Os dados apresentados tomam como base, no caso dos dados gerais sobre internet, o Ibope. E, no caso das fanpages, o monitoramento do próprio GraphMonitor.

 

Veja abaixo o infográfico:

 

 

Fonte: Administradores

15 erros fatais na gestão de mídias sociais

Embora as mídias sociais não sejam algo novo, a maneira com que muitas pessoas e empresas usam acaba surpreendendo.

Cada pessoa ou empresa tem a sua própria jornada e estratégia de publicação e acabam usando ferramentas diferentes de diversas maneiras – nem sempre bem acertadas.

No entanto ainda se cometem muitos erros comuns nas mídias sociais, sejam por blogueiros, sejam por algumas marcas. Esses erros tem o potencial de fazer as suas mídias serem sufocadas e, no longo prazo podem colocar em xeque a sua carreira e sua marca.

Pense nisso: as mídias sociais são um espaço público, muito mais público e acessível do que blogs e sites. Apesar de não estarmos conscientes, cada vez que fazemos uma atualização de status nas mídias temos o potencial de atingir uma audiência enorme de pessoas que não conhecemos através de outras pessoas que compartilham as nossas mensagens.

E isso pode acontecer para o bem ou para o mal, sejam as suas mensagens boas ou ruins.

Fique atento a esses 15 erros que podem fazer com que você transmita uma mensagem errada:

#1. Usar a mídia social como meio de transmissão

Todos nós já sabemos que as mídias sociais são uma ferramenta de engajamento, mas quantos de nós realmente a tratam dessa maneira?

Qual é a sua relação de difusão para as atualizações diretas e as atualizações que abordam os outros usuários individualmente? E essas atualizações são apenas para amigos e familiares que você se sente seguro em interagir, ou você está chegando a novos leitores, contatos e possíveis clientes dentro do seu mercado?

#2. Não responder aos contatos

Enquanto você não puder se conectar com todas as pessoas em todas as redes, se quiser construir uma presença online precisa se concentrar em responder aos contatos de outras pessoas nas redes sociais.

Evite um modelo de resposta padrão e procure maneiras de se conectar facilmente com cada pessoa que se aproxima de você para que seja possível desfrutar dos reais benefícios das mídias sociais.

#3. Não se juntar aos leitores

Aonde estão os seus leitores? Quais redes que eles utilizam? Você está nessas redes, ou está adiando a sua presença porque acha que não tem tempo ou energia para enfrentar uma nova rede social?

#4. Não oferecer botões de compartilhamento em seu conteúdo

No seu conteúdo, você oferece aos leitores opções de compartilhar a sua mensagem nas redes sociais e a oportunidade de seguir você através delas?

Oferecer uma coisa ou outra é melhor do que não oferecer nada. Mas, oferecer opção de compartilhamento para todas as redes é muito importante, além de botões para os usuários seguirem você pelas redes sociais.

É importante oferecer as duas opções para os leitores.

#5. Não seguir seus leitores

Se um leitor contata você através das mídias sociais, você o segue?

Ao seguir as pessoas que fazem contato com você, o número de pessoas participando das suas redes e compartilhando as suas mensagens pode ser esmagador.

A conexão essas pessoas é uma ótima maneira de aproveitar o máximo as mídias sociais e fazer com que seus leitores ajudem a aumentar a sua rede.

#6. Não seguir os contatos da indústria

Conectar com as pessoas do seu mercado é uma excelente maneira de ficar por dentro das notícias e novidades sobre o seu mercado, ou sobre um mercado que você se interessa.

Por outro lado essas empresas podem seguir você de volta e compartilhar as suas atualizações com os seus seguidores. Mas, mesmo se não o fizerem você tem ótimas fontes de informação para o seu conteúdo.

#7. Não apresentar a sua marca de forma consistente em uma rede

Cada marca tem uma série de aspectos que precisam ser cuidadosamente gerenciados com um trabalho detalhado de curadoria se você quiser dar aos seus seguidores uma ideia clara de quem você é.

#8. Não apresentar a sua marca de forma consistente em todas as redes

Na sequência do ponto anterior, é normal uma marca ter leitores que os acompanhem por todas as redes e por isso é preciso se apresentar e se comportar de maneira consistente em todas as redes.

O Twitter, Facebook, Google+ e Pinterest devem ter as mesmas características da sua marca, mesmo que as informações que são compartilhadas sejam selecionadas individualmente.

#9. Só fazer o básico

As redes sociais percorreram um grande caminho desde que foram lançadas. Mesmo as que chegaram mais recentemente estão evoluindo com novos recursos o tempo todo.

Mesmo assim, muitos de nós ignoram esses movimentos e apenas mantemos o mesmo estilo de postagem, dia após dia.

Você está por dentro das características das redes sociais que se utiliza? Você está atualizado ao que cada rede oferece ao seu blog? Caso contrário você pode estar perdendo oportunidades valiosas de promover o seu conteúdo para os leitores.

#10. Não monitorar o tráfego

No nível mais básico, vale a pena saber que parte do seu tráfego de seu blog vem de mídia social, e de quais redes ele vem.

Este conhecimento vai te auxiliar a concentrar seus esforços, priorizar o seu trabalho e gerir o seu tempo da melhor forma possível.

#11. Não rastrear o quanto seu conteúdo é compartilhado

No outro lado, também é importante mensurar o quanto o seu conteúdo é compartilhado. Isso é importante para saber qual tipo de conteúdo funciona em uma rede e não funciona e outra rede.

#12. Não ouvir as discussões sobre o mercado

Da mesma forma, é muito importante acompanhar não apenas o que as pessoas dizem nas redes sobre a sua marca, mas sim sobre o que dizem sobre o mercado.

Isso pode lhe dar ideias de conteúdo, oportunidades de contatos com leitores sobre temas da atualidade e até mesmo outras ideias úteis para a sua presença online.

Social media é sobre uma maneira de conhecer o que o seu público está pensando e sentindo.

#13. Não ouvir os seus concorrentes

A escuta não para por aí. Você precisa estar atento às discussões de seus principais concorrentes e descobrir o que o público tem a dizer sobre eles.

Isso vai te ajudar a encontrar e preencher lacunas em sua inteligência e dar-lhe ideias sobre produtos e serviços.

#14. Não postar consistentemente durante o dia

Este é um grande problema. Mesmo se os seus seguidores estiverem no seu fuso-horário, existem os melhores e os piores momentos para compartilhar em redes sociais.

Se você está atento para entender qual é o caminho do seu público nas mídias sociais, você precisa saber quando seus ouvintes estão mais ativos e mais online.

#15. Não perceber que a promoção não para nas redes sociais

As redes sociais têm a sua importância, mas são apenas uma maneira de alcançar as pessoas que você deseja que participem da sua comunidade online.

É uma peça de um quebra-cabeça. Mas se você só quer usar a rede social para levar pessoas ao seu site, vai matar qualquer audiência que criou. E é por esse motivo que as redes sociais devem ser usadas como parte de um amplo conjunto de ferramentas na criação de engajamento e audiência.

Fonte: Blog Criativo

10 regras do marketing nas mídias sociais

A influência da Internet no dia-a-dia das pessoas é cada vez maior e o marketing nas mídias sociais fica cada vez mais evidente nas atividades dos internautas. Para as empresas é uma mudança de rumo e para os profissionais do marketing digital, um novo enfoque para campanhas.

 

Seguem aqui dez leis do marketing para mídias sociais, sugeridas pela presidente da Creative KeySplash Inc, Susan Gunelius.

 

1.  Foco

Especializar-se é muito melhor do que ser “pau para toda a obra”. Uma mídia social altamente focada e uma estratégia de marketing de conteúdo destinam-se a construir uma marca forte. Elas terão mais chance de sucesso do que uma estratégia global que tenta ser tudo para todas as pessoas.

 

2.  Escutar

O sucesso em mídia social e marketing de conteúdo depende muito mais do ouvir do que do falar. Leia o conteúdo divulgado pelo seu público alvo e participe de discussões para saber o que é importante para eles. Só então você poderá criar conteúdos e conversas que agreguem valor aos seus clientes e prospects.

 

3. Qualidade

Qualidade triunfa sobre a quantidade. É melhor ter mil contatos on-line que leem, compartilham e falam sobre o seu conteúdo que 10 mil conexões que desaparecem depois de se conectar com você apenas uma vez.

 

4. Paciência

Resultados em mídias sociais e marketing de conteúdo não acontecem da noite para o dia. Embora seja possível fazer ações relâmpago, é muito mais provável que você precise comprometer-se a longo prazo para alcançar resultados.

 

 

5. Composição

Se você publicar conteúdo de qualidade e trabalhar para construir a sua audiência online, seus seguidores irão compartilhar seu conteúdo com seus amigos no Twitter, Facebook, LinkedIn, seus próprios blogs e muito mais. Este compartilhamento e discussão sobre seu conteúdo abrem novos pontos de entrada para os motores de busca. Assim seu conteúdo estará acessível a um número cada vez maior de pessoas.

 

 

6. Valor

Se você gastar todo seu tempo nas mídias sociais falando sobre seus produtos e serviços, as pessoas vão parar de ouvir. Você deve adicionar valor à conversa. Concentre-se menos em conversões e muito mais na criação de conteúdo surpreendente, desenvolvendo relacionamentos com pessoas influentes.

 

 

7. Influência

Dedique tempo para os influenciadores online em seu mercado, que têm um público de qualidade e podem estar interessados em seus produtos, serviços e negócios. Faça contato com as pessoas e trabalhe para construir relacionamentos com eles.
Estes contatos podem compartilhar seu conteúdo com seus próprios seguidores, o que poderia colocar você e sua empresa na frente de um público novo enorme. Lembre-se: para isso a informação deve ser útil.

 

8. Reconhecimento

Você não iria ignorar alguém que o aborda pessoalmente, por isso, você não deve ignorá-los online. Construção de relacionamentos é uma das peças mais importantes do sucesso em mídias sociais. Sempre reconheça e converse com cada pessoa que chega a você.

 

9. Reciprocidade

Você não pode esperar que os outros compartilhem o seu conteúdo e falem sobre você se você não fizer o mesmo por eles. Assim, uma parte do tempo que você gasta em mídias sociais deve ser focado em compartilhar e falar sobre o conteúdo publicado por outros.

 

10. Acessibilidade

Não publique o seu conteúdo e depois desapareça. Esteja disponível ao público. Isso significa que você precisa publicar conteúdo de forma consistente e participar das conversas. Se você não estiver disponível seu público não hesitará em abandoná-lo.

 

Fonte: Blog do E-commerce

9 tendências em redes sociais para 2013

A consultoria e.Life, especializada no monitoramento e análises de informações de rede sociais, divulgou na manhã de quarta-feira quais serão as principais tendências deste setor para 2013. As previsões, explicou Alessandro Barbosa Lima, CEO da empresa, foram baseadas em estudos e observações empíricas sobre as principais redes sociais. Confira abaixo:

 

1 – Pequenas e médias empresas vão investir cada vez mais em redes sociais:

 

De acordo com Lima, as chamadas PMEs, sejam elas pequenas agências de comunicação ou restaurantes, por exemplo, vão apostar em aumentar a sua presença nas redes sociais. Segundo o executivo, pesquisas realizadas pela revista EXAME PME mostram que 65% das pequenas e médias empresas desejam melhorar a sua relação com seus clientes através das redes.

 

2 – Métricas dão lugar aos Key Performance Indicators (KPIs)

 

As métricas refletem o comportamento da marca em uma determinada rede social como, por exemplo, o número de “curtir” que um post recebe no Facebook ou a quantidade de retuítes de uma empresa no Twitter. Não ajudam, contudo, na elaboração de planos de negócio.

“As redes são importantes fornecedores de dados de inteligência que poucas empresas sabem utilizar isso“, explica o executivo. E é por isso, considera, que o maior desafio das empresas no ano que vem será o de associar métricas às KPIs, juntando essas informações e convertendo-as em ações concretas de planos de negócio.

 

3 – Big Data

 

Uma marca como “iPhone”, explica Lima, pode trazer mais de um milhão de publicações mensais em sites de relacionamento no Brasil. Segundo ele, analisar o volume de dados que circula nas redes sociais, para que se retirem dele ideias de negócios, será um desafio para as marcas. As empresas vão precisar de mais servidores e bancos de dados, por exemplo, para dar conta de tanta informação.

 

4 – Segunda tela e curadoria social

 

Ao analisar o comportamento das pessoas nas redes sociais, a e.Life percebeu que metade dos usuários assiste à televisão enquanto navega pela internet. “Recolhemos os Trending Topics no Twitter e podemos afirmar, sem erro, que mais de 50% deles tem relação direta com a programação da TV”, explica.

Como exemplo, Lima cita as ações do Itaú, Banco do Brasil e Nike que utilizaram expressões acompanhadas de hashtags em suas campanhas. “Quando a marca usa a hashtag, o engajamento de sua ação nas redes sobe de 1,6% para 14%”, explica. Por este motivo, campanhas veiculadas na TV e que incentivem a interatividade dos usuários nas redes sociais serão boas oportunidades em 2013.

 

5 – Ascensão do mobile

 

O país assistiu a um crescimento na quantidade de dispositivos móveis. “O número de tablets dobrou de 2011 para 2012 e os smartphones continuam a subir”, pontua. Para Lima, portanto, a base mobile ainda crescerá no próximo ano o que fará com que, cada vez mais, as redes sociais sejam acessadas através destes dispositivos.

 

6 – Social CRM

 

Segundo Lima, 1 a 3% de todo o atendimento ao consumidor das marcas atendidas pela e.Life já é feito via redes sociais. A empresa estima ainda que, em 2013, essa percentagem suba para 5%. Neste ponto, o executivo percebe que há uma mudança nos hábitos dos consumidores que desacreditaram dos call centers. “Hoje eles preferem o atendimento mais rápido ao postar nas redes sociais”, pontua.

Mas, além disso, Lima aposta no crescimento de uma nova modalidade de atendimento, o chamado unsourcing: quando o consumidor tem suas dúvidas respondidas sem a ajuda da empresa, mas com o auxílio de outras pessoas.

 

7 – Softwares as Service

 

Outra tendência para 2013 são os chamados Softwares as Service, que ficam armazenados na nuvem e, para utilizá-los, basta que os clientes paguem uma taxa mensal. De acordo com ele, esse segmento de serviço para pequenas e médias empresas é praticamente inexplorado, mas deve crescer no ano que vem.

 

8 – Varejo Social e Conectado

 

Este tipo de ação integra o ponto físico de vendas ao mundo das redes sociais através dos check-ins, permitindo que os consumidores compartilhem as experiências com os amigos. “A tendência ainda está muito no início, mas irá se fortalecer em 2013”, pontua Lima.

Como exemplo de ações similares, ele cita a Cielo que integrou suas máquinas de pagamento ao Facebook. A iniciativa permitirá que as pessoas publiquem seus check-ins e recomendações sobre estabelecimentos ou serviços diretamente em sua Linha do Tempo.

 

9 – Realidade Aumentada

 

Para Lima, a realidade aumentada irá proporcionar ao consumidor o acesso a outras dimensões, além do ponto físico de vendas. “Ele poderá conversar com a vendedora enquanto vê as informações sobre o produto em realidade aumentada”, explica. Assim, com “gôndolas virtuais”, é possível que um shopping, por exemplo, aumente o número de lojas sem precisar se preocupar em ampliar seu espaço físico.

 

Via: Exame.com