INSTAGRAM: APRENDA A USÁ-LO COMO UM GUIA DE VIAGENS

gestaoderedes_29052018_gif_FACEBOOK

O Instagram se tornou uma rede social aliada não só para os negócios, mas também para o turismo. Descubra como usá-lo como um guia de viagens!

Na hora de pensar no roteiro de uma viagem: onde ir, onde se hospedar e o que visitar, a ferramenta é muito utilizada. Veja alguns recursos da rede social que podem ajudar você na hora de se planejar:

No lugar das hashtags, dê espaço para as geotags

Através das geotags é possível clicar no local dentro de uma postagem e ver onde ele fica no mapa, além de visualizar todos os cliques feitos ali. Isso pode ser vantajoso, por exemplo, caso você esteja procurando um restaurante para jantar ou se ainda está decidindo o que fazer durante o passeio.

Colecione experiências

Pensando em viajar? Crie uma coleção no Instagram e comece a inserir ali todas as imagens que despertarem o seu interesse. Quando chegar a hora de embarcar, você vai encontrar ideias diferentes sobre o que fazer, onde comer, locais para visitar e muito mais!

Amplie seu Instagram

O legal de acompanhar outras redes de pessoas interessadas em turismo é ter à sua disposição dicas super legais antes mesmo de decidir pelo destino. Por isso, vale a pena seguir perfis oficiais de cidades, guias turísticos, agências de viagens, sites de cultura, entretenimento local além, é claro, de perfis de viajantes!

Curtiu essas dicas? Conheça o nosso trabalho: www.gestaoderedessociais.com

Qualquer pessoa pode ser encontrada nas Redes Sociais em apenas 12 horas de busca

Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Ciência e Tecnologia de Abu Dhabi, dos Emirados Árabes Unidos, mostra que é possível localizar qualquer pessoa nas redes sociais em apenas 12 horas de busca pela internet. Essa estimativa de tempo se aplica, inclusive, para encontrar perfis da qual se tem pouquíssimas informações com que trabalhar.

Para chegar a esse resultado, foi realizada uma competição em que os participantes deveriam encontrar cinco usuários escolhidos aleatoriamente em cidades norte-americanas e europeias. As únicas pistas que os participantes receberam foram uma foto da pessoa, o nome de sua cidade e a informação de que o perfil a ser encontrado teria um logotipo do evento.

Após 12 horas, três dos cinco escolhidos haviam sido encontrados. A tática mais eficiente, segundo os participantes, foi encontrar pessoas geograficamente próximas ao alvo e recrutá-las para ajudar na busca.

“O fenômeno das 12 horas de separação (entre uma pessoa e outra) depende crucialmente da capacidade de mobilização direcionada nas redes sociais, usando informações geográficas para recrutar pessoas”, afirma Alex Rutherford, responsável pelo estudo. Segundo ele, com o incentivo correto e mais conhecimento sobre o conteúdo procurado, é possível encontrar os perfis ainda mais rápidos.

Fonte: Intelligenza